Os filmes de assalto se tornaram populares de uns anos para cá. Verdade comprovada através do sucesso de  Ocean’s Eleven (Onze homens e um segredo) e suas continuações, Plano Perfeito (Spike Lee, 2006), e até o fraco brasileiro Assalto ao Banco Central, que fez uma pequena fortuna apesar de sua qualidade, no mínimo, duvidosa. O mais novo filme de Brett Ratner, Roubo nas Alturas (Tower Heist,2011), nada mais é que uma tentativa (falha) de narrar um assalto, mas que acaba dando certo pela competência de seu elenco, e pela ambientação envolvendo contextos atuais de crise econômica.

Roubo nas Alturas

O roteiro escrito por Ted Griffin (o mesmo de Ocean’s Eleven) e Jeff Nathanson ( O Terminal) narram o problema que um grupo de funcionários de um grande prédio domiciliar no centro de Manhattan. O tal problema envolvia o dono do prédio, que fora acusado de desviar uma grande quantidade de dinheiro, incluindo a pensão dos empregados. O então gerente,  Josh Kovacks  (Ben Stiller), se vê na obrigação de ajudar seus companheiros a reaver a quantia que lhes pertence, e para isso, arquiteta um plano de invasão da cobertura do dono do prédio, onde, supostamente, estavam guardados maços e mais maços de dinheiro, totalizando quase 45 milhões de dólares.

A ambientação do filme em tempos de crise econômica torna a sua narrativa, no mínimo, mais atrativa. O problema enfrentado pelos empregados do Hotel, quando suas pensões são roubadas, deixa no ar a fragilidade que nossos cargos sofrem durante esse período conturbado.  Um grande ponto positivo ao filme, que se preocupa em passar uma mensagem de excelência no trabalho.

Ansiosos estavam os fãs de Eddie Murphy, pois essa seria a tão esperada volta do ator aos grandes filmes de Hollywood. Murphy está aqui como Slide, um malandro que passou a vida furtando pequenos objetos. Seu papel é explorado de forma discreta, sem muito brilho, mas formando um belo par com Ben Stiller. Por vezes somos convidados a rir de suas feições, lembrando o personagem Buddy Love, de O Professor Aloprado.

Film Title: Tower Heist

A diversão é garantida graças as situações ‘’embaraçosas’’ que os comparsas se metem durante a tentativa do roubo.  Mas como dito no início do texto, o assalto, como um gênero, não é levado a sério. É notável, por exemplo, que o plano é terrivelmente óbvio, e que os ladrões não têm o mínimo de preparo para tal.

A grande sacada do roteiro previsível e descomplicado é apostar nas situações que os personagens passariam ao tentar roubar a quantia, pois como filme de assalto, Roubo nas Alturas se mostrou um boa e leve comédia.