Você já parou para pensar sobre qual é o material usado na confecção das suas roupas? Os ativistas do Greenpeace não só pensaram como decidiram investigar algumas das grandes marcas do mundo da moda. Foram feitos testes com roupas compradas das maiores marcas do mundo. O resultado? Assustador.

Foram descobertas substâncias químicas que continuam presentes nas roupas após a fabricação, incluindo materiais cancerígenos provenientes de corantes. Dentre os elementos encontrados, destacou-se a presença de etoxilatos de nonilfenol, que se quebram no meio ambiente e formam substâncias que interferem nos hormônios. Além disso, a forma como a maioria dos produtos são produzidos acaba envenenando as águas.

Para mudar esse quadro, o Greenpeace criou a campanha “Detox”, que busca mobilizar pessoas em prol da causa. O movimento exige que as marcas de moda se comprometam a, até 2020, não descartar nenhum resíduo químico perigoso no ambiente e que seus fornecedores divulguem para as comunidades locais todas as substâncias tóxicas jogadas nos rios.

“A campanha Detox do Greenpeace quer parar a contaminação e a poluição de cursos d’água com produtos químicos perigosos, incluindo aqueles que permanecem no ambiente e que alteram o funcionamento dos hormônios no corpo humano”, diz o texto de motivação do movimento.

A última questionada foi a Zara, maior varejista do mundo, que segundo os ativistas, “possui cursos-d’água públicos, que estão sendo tratados como se fossem esgotos particulares”. Além disso, eles afirmaram que a grife utiliza produtos químicos tóxicos na confecção das roupas, que podem até mesmo causar câncer. Mas, oito dias após o lançamento da campanha contra a marca, a Zara já se pronunciou em relação a ação e disse que há “boa vontade em tomar as atitudes necessárias para alcançar, no menor tempo possível, a meta geral de parar a poluição”.

A Zara é a oitava marca a se comprometer a eliminar o descarte de produtos químicos perigosos em sua cadeia de fornecimento e em seus produtos desde que a campanha foi lançada. A grife agora se junta a Nike, Adidas, Puma, H&M, M&S, C&A e Li-Ning, que já garantiram que vão mudar sua produção.

Quem quiser fazer parte da campanha mobilizada pelo Greenpeace, precisa apenas acessar o portal da iniciativa e informar nome, sobrenome, e-mail e telefone. Depois é só clicar em “Quero participar”.

E você, o que acha disso tudo? Vai ficar mais atento quando for comprar alguma roupa? A Mr. Fly se importa com o meio ambiente e, a cada camiseta feita, são retiradas, em média, duas garrafas PET do meio ambiente. Não é demais? É moda com sustentabilidade!