Mr. Fly l Moda Sustentável - peças ecológicas e conteúdo consciente

Inspiração Minimalista


cover-mrfly

Por Mariana Martins

Passada a correria de fim de ano, festividades, viagens e a produção da Coleção Verão Mr.Fly 2016,
resolvemos apresentar todas as novidades de maneira mais detalhada.

O nosso maior objetivo era seguir com a sustentabilidade, mas de uma forma mais acessível e maleável,
buscando dinamizar o diálogo com o nosso público.
Acreditamos que o objeto de consumo da Mr.Fly esteja muito longe de ser um objeto.
O nosso compromisso é com a ideologia sustentável, mas se pudermos oferecer produtos que carreguem essa mensagem e um valor estético consciente e inteligente, o faremos.

As nossas camisetas retiram, cada uma, duas garrafas do meio ambiente.
Nessa brincadeira séria, já foram mais de 300 mil.

Muitas dessas garrafas retiradas, serviram para produzir um tipo específico de moda.
A Linha Básica nasceu dessa demanda, de pessoas que buscam por alternativas sustentáveis, conforto, bem estar e leveza, sempre de maneira discreta.
E são múltiplos os gostos, as verdades e os estilos, não é mesmo?

E no meio de todas as demandas e vontades,  juntos com o Filipe Moreira conseguimos materializar nossas ideias.
Assim criamos uma linha de camisas inspiradas na paisagem urbana, onde linhas e formas, padrão e ruído, trânsito e concreto, ganharam espaço em estampas inéditas e irreverentes.

artes-colecoes-basica
IMG_2897 IMG_2949 IMG_3039 IMG_3139

Para conferir todos os modelos, acesse o nosso site.
Venha conhecer nossos produtos, sua sensibilidade é muito bem vinda no nosso site.

Beleza: Aléxia Simões
Modelos: Leonardo Venâncio e Amanda Ludtke
Fotografia: Mariana Martins


 

Novos Rumos, Ideologia de sempre

Por Mr.Fly Moda


Em tempo de festas e comemorações, nada melhor do que renovarmos as nossas projeções e aspirações em um trabalho especialmente pensado para o nosso público.

Continuamos produzindo camisetas sustentáveis, que, para os que ainda não conhecem, são peças que retiram duas garrafas PET do meio ambiente em sua confecção.
Ajudamos a limpar a natureza, reutilizando elementos descartados de maneira incorreta, movimentamos a economia local ao estreitarmos os laços e diálogo com catadores de papel e ainda, de quebra, trabalhamos com ilustradores super antenados e criativos.

O resultado de toda essa transição colorida, já está disponível no nosso novo site.
Confira as nossas novidades: tem camiseta, caderninho e sacolas retornáveis pra você fazer do seu 2016 um espaço de conscientização e qualidade de vida.

cover-mrfly Print Print Print

Versatilize-se

Por Mr.Fly Moda

Depois de muito trabalho, pesquisa e criatividade, resolvemos apresentar formalmente o nosso último projeto.

Nossa caminhada tem sido sensacional, e a cada passo que damos, encontramos pessoas com vontade de produzir emoções e sensações.
Pessoas que também se inspiram e desejam mudar a forma dos consumidores se relacionarem entre si, com o meio ambiente e com o consumo.

Nesse cenário, temos uma parceria que só cresce com o tempo: O Blog da Talita.
Com conteúdo e perspectivas que tangenciam a busca pela sustentabilidade, a sintonia foi instantânea. E no meio de tantos sorteios, concursos culturais e promoções, resolvemos pensar em uma coleção-parceria.
E por que não?

Nossa maior proposta sempre foi a de conscientização ambiental.
Os interesses do pessoal do Blog da Talita convergem moda e sustentabilidade.

Tínhamos os ingredientes fundamentais para apostar numa mistura que materializasse nossa vontade de fazer diferente.

A coleção Versatilize-se é resultado dessa dinâmica.
Queremos que você se sinta cada vez mais livre e independente.
Queremos que você sinta que a capacidade de cuidar da natureza de forma criativa existe em todo mundo, basta ser trabalhada.
Queremos que você tenha certeza que quando ajudamos o planeta, ajudamos a nós mesmos.

Um pouco dessa atmosfera leve e positiva pode ser conferido no nosso editorial, a seguir:

19 1 5 IMG_1123 5 6

As vendas oficiais já estão abertas na nossa página do facebook.
Gostou de algum modelo?
Quer saber mais detalhes da compra?
Fale com a gente, ficaremos felizes em responder sua mensagem!

 

Lembrando que cada camiseta retira em média, duas garrafas PET do meio ambiente.
Ser chique é ser do bem!


 

Parcerias e Produções

Por Mr.Fly

Já não é de hoje a proximidade que nós da Mr.Fly temos construído com a parceira Talita , que tem um blog super bacana e instrutivo, cheio de dicas sobre moda e sustentabilidade.

Talita Scoralick é juiz-forana, tem 24 anos e é jornalista.
Criou o Blog para falar de tudo que gostava e acabou encontrando aí um espaço para crescimento pessoal e reconhecimento profissional. Através desse espaço, fala de assuntos relacionados ao cotidiano, viagens, customizações e aprendizados no mundo fashion.
Faz palestras e workshops sobre o universo dos blogs de moda e o seu desafio de ficar um ano sem compras, apelidado de Dieta Fashion.

E no meio desses tantos diálogos traçados, surgiu a ideia de convidar a Talita para assinar uma coleção de camisetas da Mr.Fly: e depois de meses de pesquisa, dedicação e produção, essa novidade vai ser apresentada ao público na próxima quarta-feira, aqui na cidade de Juiz de Fora.

Então, aos que moram por aqui, fica o convite cheio de carinho para comemorar com a gente esse novo caminho e conhecer de pertinho tudo que foi produzido.

11836828_860613094024704_5775263598325071945_n

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E nesse clima de estreia e novidade, pedimos para que vocês fiquem ligados nas nossas páginas…porque vem mais coisa por aí!
Aguardem.


 

 

Inverno sustentável

Por Mr.Fly

As águas de março passaram fechando o verão com pressa
e definitivamente: pelo menos é a sensação que temos a cada semana.

A temperatura tem diminuindo constantemente, com dias de chuva forte,
e em sua maioria, de chuva miúda.

A natureza agradece, temos certeza.
Mas no meio de tantas meias, cobertas, chocolates quentes e preguiça,
resolvemos fazer uma lista de pequenos hábitos que podem deixar nossa estação
um pouco mais sustentável.

Já sabemos que com o frio e sem o horário de verão, a tendência geral é de um aumento significativo no gasto de energia.
Precisamos repensar nossos hábitos!

TROQUE AS LÂMPADAS!

Opte por modelos mais econômicos.
É muito importante que isso se torne um hábito, independente da estação.
Mas a verdade é que com o sol se pondo mais cedo, precisamos de mais iluminação
por mais tempo.
Se atente para o consumo consciente: não deixar cômodos iluminados de forma desnecessária vale pro ano inteiro.
Para ambientes aconchegantes e intimistas, em situações especiais, você pode usar velas: além de charmosas, vão te deixar mais sustentável ainda.

LAVE E PASSE MENOS

Ficar lavando roupa todo dia, assim como passando, não faz sentido.
Deixe que suas roupas se acumulem para que o trabalho seja realizado
apenas uma vez na semana.
É muito mais econômico e até o seu bolso agradece.

CRIE O HÁBITO DE RESPIRO

Deixar que sua casa respire, ou sua roupa, pode ser uma mão na roda
na saga contra a poeira.
Nossas roupas de frio ficam muitos meses guardadas no fundo do armário,
limpas.
Deixe que elas fiquem algumas horas no varal, tomando ar fresco.
É uma forma de purifica-las sem precisar necessariamente lava-las.
Isso vale para os cômodos!

CARONA SOLIDÁRIA

A verdade é que ser solidário é um trabalho que deve ser desenvolvido sempre que possível.
E com o clima instável, não é diferente.
Portanto, não deixe o vizinho na chuva.
Compartilhe rotas e socialize: deixe que apenas o clima seja frio!

DESAPEGA

A lei do desapego se une a necessidade de muitos!
Olhar pelo próximo é uma prova de amor ao planeta: limpe seu armário e repasse
aquele casaco velho.
Tem sempre alguém precisando de um cobertor, e o calor humano é o melhor remédio pra ajudar nessas horas!

doação frio-01


 


 

CONCURSO CULTURAL Criatividade Sustentável

Por Mr.Fly

Como a sustentabilidade estampa a sua vida?

Em prol da conscientização, a ONG Sustentarte, que desenvolve projetos de Educação Ambiental em vários setores da sociedade, se une a Mr.FLy, que através da confecção de roupas ecológicas, procura minimizar os efeitos nocivos que expõem cada vez mais o nosso planeta, para realizar essa campanha!

Nos conte, então: Por que essa estampa remete sustentabilidade pra você?

11072076_10206337899750030_1784926281_n

Escolha a sua estampa e mande pra gente sua ideia!

A nossa equipe irá selecionar as 3 melhores frases para ganharem uma das camisetas em destaque na promoção!

Faça parte dessa rede!

Regras:
1- Envie sua resposta para criatividadesustentavel@mrflymoda.com.br.
3- Serão 3 ganhadores que seguiram a ordem de primeiro, segundo e terceiro lugar.
4- Caso duas ou três frases vencedores escolham a mesma estampa, daremos prioridade para quem ficou melhor posicionado.
5- O vencedor tem o prazo de 3 dias para entrar em contato conosco e passar o endereço de entrega, caso contrário, outra pessoa será selecionada para ganhar o prêmio.
6- O envio será realizado pela Mr. Fly e seguirá os termos estabelecidos pelos correios.

Faça da internet um lugar onde boas ideias floresçam para uma vida melhor!
Participe!

O resultado será divulgado no dia 23 de março.


 

Nova sede da Apple terá painéis solares e sete mil árvores

Nova sede da Apple terá painéis solares e sete mil árvores

O formato de espaçonave da nova sede da Apple, em Cupertino na Califórnia, foi apresentado em 2011, mas as obras só começarão em 2014

size_590_Sede_da_Apple_na_Califórnia

Clique para ampliar

Com quatro andares e 260.128,512 m², o prédio será parcialmente abastecido por seus painéis solares e abrigará sete mil árvores.O verde, bastante notável do projeto e que representa 80% da área, deve inspirar os funcionários do campus.Hoje, o terreno escolhido está disposto exatamente o contrário: 20% de área verde e 80% de concreto.

É bem possível que o design – que se mostrou comprometido com o meio ambiente – dispense ar-condicionado durante 70% do ano, já que a construção terá boa ventilação natural.Outro exemplo é a iluminação, que além de ser inteira de LED, terá sistema inteligente adaptado às condições locais. Estima-se que o prédio gastará 30% menos energia que outros do mesmo porte.Conscientes de que a construção civil também traz prejuízos para o planeta, os resíduos gerados durante as obras serão reciclados no local – evitando transporte.

Depois da morte de Steve Jobs, o projeto ficou na mão de Jonathan Ive, responsável pelo design da multinacional, e de Norman Foster, arquiteto responsável pelo prédio.

O investimento total estimado é de U$ 5 bilhões – custo que excede o do projeto das novas torres do World Trade Center –, mas a empresa ainda quer cortar U$ 1 bilhão antes de dar início às obras, que durará cerca de três anos.

Curiosidades ecológicas! Você sabia…?

Curiosidades ecológicas! Você sabia…?

No corre-corre do dia-a-dia fica muito difícil pararmos para analisar esse ou aquele aspecto ecológico do nosso bairro, cidade ou país. Investigar e pesquisar a fundo sobre o que consumimos e o que jogamos fora deveria ser um papel exercido por todos, mas que, infelizmente, não ocorre. Pelo menos no Brasil.

Por isso, separamos algumas curiosidades a respeito do assunto:

Você sabia?

– Embalagens plásticas e latas de alumínio levam mais de 100 anos para entrarem em processo de decomposição.

– Um carro médio emite por ano uma quantidade de poluentes atmosféricos equivalente ao seu peso. Acredita-se que 60% da poluição atmosférica venha dos automóveis.

–  São necessárias 17 árvores para a fabricação de uma tonelada de papel.

– A cada 24 horas, o Brasil produz 240 mil toneladas de lixo – sujeira que seria suficiente para lotar 1.160 aviões cargueiros do tipo Boeing 747.

– A cidade de São Paulo (SP) produz o equivalente a um prédio de 30 andares de lixo por dia.

– O Mundo consome 4 bilhões de litros de petróleo por dia.

– Uma família de classe média joga fora cerca de 500 gramas de alimentos por dia. Em 20 anos, isso equivale a 3600 quilos.

Porque o filme Hell deve ser visto

Porque o filme Hell deve ser visto

Por Pedro Fraga

Independente do tipo de apocalipse que você acredita que poderá ocorrer, algo é absolutamente comum a todos eles. Podem ser os zumbis, o apocalipse nuclear, os ETs… Não importa. O maior inimigo da humanidade será ela mesma. Milícias se formarão, comida e água se tornarão itens raros e você precisará chegar ao limite para sobreviver. E é justamente essa a abordagem que os filmes adotam para narrar histórias pós-apocalípticas, explorando o limite e a natureza duvidosa do ser humano. Hoje temos o dúbio Hell (Alemanha, 2012), que se apropria do que de melhor existe no gênero para contar algo um pouco diferente – mas que acaba se perdendo no meio do caminho.

Num futuro muito próximo, a Terra tornou-se uma imensa bola infértil. Inclusive, esse é um dos pontos mais interessantes dessa produção, já que estamos a exatos três anos de seus acontecimentos. Em 2016, como explica o filme, a temperatura do planeta subiu dez graus Celsius, e todos os animais e plantas, obviamente, sofreram as conseqüências. O aquecimento provocou também aquela tão temida falta d’água (que é um assunto bastante discutido no Brasil por abrigarmos uma das maiores reservas do mundo). Em meio a essa escassez de suprimentos, conhecemos Phillip, Marie e sua irmã mais nova, que estão partindo em busca de água e melhores condições de vida. ‘’As montanhas estão com vida’’, pensa Phillip ao ver uma ave indo em direção as montanhas.
O sol se tornou um perigoso adversário, desidratando e queimando qualquer um que se expusesse a ele. O dia passou a ser muito mais perigoso que a noite.

Hell

Foi esse cenário árido e desértico que o diretor estreante Tim Fehlbaum escolheu para ambientar sua história, que vai além do interesse científico sobre o aquecimento da Terra e parte para o velho e batido estudo sobre a natureza humana e suas necessidades. Com todas as dificuldades de se viajar à luz do dia e a escassez de suprimentos, formaram-se grupos de ladrões e desesperados por comida e água, dispostos a fazer qualquer coisa para sobreviverem. Na trama conhecemos um desses grupos, na verdade, uma família, que além de batalhar pela sobrevivência, pretende ainda dar continuidade a raça humana. Bonito, não? O problema é que essa família seqüestra mulheres para que os homens possam desfrutar dos prazeres da carne e, de sobra, render filhos.

Nessa divisão de batalha pela sobrevivência num mundo pós-apocalíptico e família bizarra que sequestra as pessoas para interesse próprio, o filme cai no seu principal problema. A trama deixa de seguir um rumo e troca, de forma abrupta, para um viés completamente diferente do proposto no início do filme, e o que era considerado perigoso, passa a ser secundário. O sol e o clima agressivos passam a se tornar coadjuvantes quando os personagens principais encontram a tal família, e o filme passa a ser de terror em seus moldes clássicos. Mesmo com essa mudança, o filme se sustenta, na maioria das cenas, pelas boas atuações. A personagem de Marie, que no início só queria proteger a irmã, cresce e se torna forte. Diante das adversidades, a personagem passa até uma mensagem feminista interessante, mas nada muito explícito.

001

A fotografia do filme é definitivamente o diferencial. Para o bem ou para o mal. Os tons pastéis excessivamente brilhosos estouram a primeira vista, assim como nos personagens, que não podem olhar diretamente para o sol, nem deixar os olhos expostos por muito tempo. O filme, nos seus minutos iniciais e finais, parece ter usado um filtro absurdamente claro em sépia nas filmagens, e na pós-produção, o brilho foi colocado pelo estagiário abusado. O fato é que o visual ficou extremamente interessante e nos coloca com uma pulga atrás da orelha com relação a esse tipo de acontecimento. O Sol e a Terra podem (quando quiserem) destruir ou dificultar a vida insignificante que temos por aqui. Somos formiguinhas na mão desse universo, e, no mísero ponto de vista, esse apocalipse é o mais possível, e o mais próximo.

Para escapar desse terrível fato que assola a humanidade, o filme assume um caráter esperançoso ao final, e nos revela aquilo que precisamos para continuar acreditando que é possível viver em paz nesse pálido ponto azul.

Dúbio na narrativa e no nome (Hell em alemão pode ser ‘’brilho’’ ou ‘’inferno’’. Sacaram a brincadeira com a luz, o sol e o inferno instaurado?), o filme se encaixa perfeitamente numa tarde tediosa. É falho, mas interessante e bem sucedido em diversos pontos.

Salve o planeta?

Salve o planeta?

Por Pedro Fraga

‘’Salve o planeta!’’, diz o ativista. As variações climáticas atuais, o derramamento de poluentes em rios e mares, a caótica e ‘’suja’’ vida na cidade… Inúmeros fatores levam o engajado a se revoltar contra os sistemas de governo e as medidas irrisórias de preservação ao meio ambiente. É comum, por exemplo, encontramos campanhas de coleta seletiva de lixo espalhadas pelo Brasil, mesmo que isso seja uma obrigação de qualquer cidadão que se auto-intitula ‘’terráqueo’’.  A partir dessas campanhas, conseguimos encontrar alguma razão/motivo para discutirmos o real sentido das milhares campanhas ‘’Save the planet’’ ao redor do mundo.

r-KEYSTONE-XL-PIPELINE-WHITE-HOUSE-PROTEST-huge

Que tal voltarmos um pouco no tempo?

Aqui estavam os dinossauros. Povoando o que chamamos de lar e utilizando recursos naturais como forma de sobrevivência. Gigantescos, poderosos, soberanos. Sem que pedissem por isso, os dinossauros foram expulsos da Terra, ou melhor, de seu próprio instinto de sobrevivência, por um gigantesco meteoro – e pelas catástrofes naturais subsequentes, claro.

Voltemos um pouco mais, então.

Eras glaciais, vulcões a pleno funcionamento, Terra absolutamente instável. O planeta sobreviveu a isso, incluindo chuvas constantes de imensos meteoros, meteoritos etc (basta abrir qualquer livro de geografia e encontrar falhas e crateras espalhadas pelo mundo).
A Terra não só ‘’aguentou’’ tudo isso, como se recuperou formidavelmente.

Se pararmos por dez minutos, e refletirmos sobre as frases e as bandeiras que os ativistas proferem/levantam todos os dias, baseados na rápida (e porca) recapitulação que fizemos, chegaremos a algumas conclusões.

Os maremotos, tornados e catástrofes naturais que acompanhamos anualmente, têm o único e exclusivo poder: o de diminuir populações. Com isso, o medo e o terror se instauram automaticamente a medida que um ventinho mais forte é sentido em Nova Iorque, por exemplo.  Esse medo, que torna os humanos, de fato, humanos, leva a passeatas e milhares de pessoas nas redes sociais ‘’lutando’’ por um planeta mais sustentável, ou ‘’saudável’’.

Partido disso, a frase ‘’Salve o planeta!’’, na verdade, é um grito desesperado por socorro. É o medo de maremotos no Brasil, ou de furacões no norte da China. Indo um pouco mais longe – e finalmente linkando os dinossauros e as eras de instabilidades da Terra – é o medo natural da morte. Medo da extinção definitiva da espécie.

‘’Salve o planeta!’’ é na realidade um ‘’Salvem os humanos!’’. A Terra já estava aqui antes. E mantinha-se muito bem. Se a preocupação do ativista é com a real situação do planeta, pode tranquilizá-lo. O planeta está longe de ser realmente ameaçado por um grupo que mora aqui de passagem, e que não apresenta perigo real algum. Somos formigas com medo.

Sejamos sustentáveis, sim! Cuidemos do que nos é oferecido pelo planeta, sim! Mas para que o que temos, não falte.

 Sugiro, entretanto, que as faixas sejam mudadas.