Curiosa essa pergunta. É óbvio que a primeira reação do leitor ao se deparar um questionamento como esse é um só: ”O livro impresso agride mais o meio ambiente”. Pois bem. De acordo com um texto publicado no site Consumidor Moderno, do Uol, a fabricação de tablets e e-book readers agride quase 200 vezes mais o meio ambiente do que a impressão de um carregamento de livros.

e-book-livro

Ficou curioso? Confira um trecho do texto:

”Um dos questionamentos feitos pelas pessoas que são naturalmente apaixonadas por livros é se a opção digital, os e-books, é mais sustentável que os modelos tradicionais impressos. Em primeira vista a tendência é imaginar que sim, porém a resposta não é tão simples quanto parece.

Em artigo publicado no The Millions, o editor Nick Moran, os dados sobre a pegada de carbono dos leitores digitais e comparou com os números dos livros impressos. Segundo ele, os e-readers, ou seja, os aparelhos para leitura digital, como Kindle ou iPad, possuem pegada de carbono 200 a 250% maior que uma biblioteca.

Além disso, a tendência é aumentar ainda mais as emissões de gases de efeito estufa, mediante às trocas contínuas dos aparelhos por modelos mas novos. Outra questão que pode influenciar este impacto é o fato de que os e-readers normalmente são pessoais, assim cada um dos integrantes de uma família tem o seu próprio aparelho.

Os e-readers são cada vez mais populares. Somente nos Estados Unidos, o principal mercado consumidor deste segmento no mundo, foram comercializados em 2011 um milhão de Kindles por semana e a Apple anunciou a venda de 40 milhões de iPads. Dessa forma os livros digitais foram responsáveis por 31% das vendas das editoras.”

Leia o texto completo aqui e tire as suas conclusões.