Mr. Fly l Moda Sustentável - peças ecológicas e conteúdo consciente

Fiscais contemporâneos

Fiscais contemporâneos

Por Mr.Fly

 

Temos discutido bastante sobre as relações que estabelecemos com o mercado e
os produtores que nele se inserem.
A capacidade de refletir a moda como espaço para vivenciar a sustentabilidade existe à partir do momento em que as pessoas conseguem absorver o discurso de conscientização ambiental e entender que essa prática deve ser aplicada nos mais diversos cenários.

É muito importante entendermos as diferentes cadeias de produção que nos cerca.
O processo de industrialização por si só já é peça fundamental para
compreendermos os impactos que a natureza vem sofrendo todos esses anos,
e construir essa sensibilidade com o meio, talvez seja a nossa preocupação mais urgente.
Mesmo com as leis e fiscalização existentes, ainda vivemos em uma cultura onde a responsabilidade
acaba ficando sempre na mão do consumidor.
Trabalhamos, corremos, nos enrolamos em nossas rotinas e ainda temos que ter tempo de ficar nos preocupando com o que consumimos.
Informação nutricional, procedência, composição.
É muita coisa pra gente fiscalizar, não é?
Pois é.
E o produto final que chega em nossas mãos, muitas vezes saiu de um processo
ambientalmente danoso. E por mais assustador que pareça, em alguns casos, socialmente também.
O que é muito fácil de entender:
se as pessoas não se preocupam com o meio ambiente como deveriam, obviamente não vão se preocupar com o próximo.

Estamos falando de trabalho em condições desumanas e isso não é novidade, infelizmente.
Estamos falando de um nível de desrespeito inacreditável.
Não é sobre madeireiras clandestinas lá no meio da floresta não, apesar de também serem relevantes.
São nomes grandes do mercado da moda.
Portanto, se informe.
Repense sua forma de consumir: sejam alimentos ou bens de consumo, duráveis ou não.

Respeite o planeta e os seus habitantes:
a sustentabilidade não deixa nada e nem ninguém para trás.



Sustentabilidade aplicada

Sustentabilidade aplicada

Por Mr.Fly

 

No meio desse vendaval político, a Mr.Fly procura cada vez mais, destacar todas as problemáticas ecológicas que nos permeiam.
A cultura do descaso ou da falta de percepção da realidade ambiental, tem nos conduzido por um caminho com final obscuro.
As práticas que nos aproximam da natureza, são mais do que prazerosas e podem ser facilmente incorporadas ao nosso dia-à-dia.
A questão toda é: por que temos ainda tanta dificuldade nessas pequenas tarefas?
Por que os grandes veículos de comunicação parecem usar da situação ambiental como pauta, apenas na eminência de uma catástrofe ou na falta de notícias locais?
Estamos cansados de saber que o clima está mudando, que a água está acabando, que essa relação se torna diariamente mais próxima do irreversível e ainda assim as pessoas parecem ignorar.
E ignoram cada vez mais com o respaldo das autoridades.
Precisamos ver esse conflito antes de todos os outros: religião, política e futebol…coisas polêmicas de discutir, não é mesmo?
Mas nada disso é discutível sem o equilíbrio do nosso meio ambiente.
Pensando nisso, resolvemos propor: que tal ser a mudança que quer ver no mundo, começando na sua casa?
A ideia é bem simples e não custa nada!
Sabe todas as posturas que você adoraria adotar e que secretamente inveja, quando sabe de algum conhecido capaz de executa-las?
Resolvemos fazer um poster para você imprimir e pregar na sua casa!
Por que?
Porque lendo isso diariamente, acreditamos que essas medidas deixarão de parecer papo de jornal e passarão a se incorporar à sua rotina!
Coloca atrás da porta do quarto ou na parede do corredor: mas leia.
E faça a sua parte.
Parece impossível mudar a realidade né?
Mas se torna tangível se cada um fizer um pouco.
Salve nossa imagem e comece essa corrente!

O planeta agradece, e a gente também!

POSTER10MANDAMENTOS

 

Consumo Sustentável

Consumo Sustentável

Por Mr.Fly

O post de hoje é pra quem quer colaborar para o desenvolvimento
de politicas de consumo sustentáveis no Brasil! 
A Universidade de São Paulo está com um projeto que visa analisar e conhecer o perfil, estilo de vida, conhecimentos, atitudes, comportamento e valores do consumidor sustentável brasileiro.

São poucos os estudos feitos no país e muitos autores refletem a importância de ONGs (marketing social) para divulgação e conscientização da população a respeito. Diversas políticas nacionais vem surgindo para melhorar padrões de produção e consumo e há grande relevância social, além do interesse em comparar com o comportamento do anglo-saxão em relação ao consumo sustentável. Ao identificar o perfil do consumidor sustentável no Brasil, poderemos comparar com os resultados obtidos no exterior, e assim propor implicações sociais, governamentais e empresariais de acordo com os resultados.

Responda ao questionário abaixo – clicando no link – e colabore com este projeto! Sua ajuda é muito importante!

Para maiores informações, envie e-mail para o contato localizado no fim do questionário.

 


E se existisse um parque do Pequeno Princípe? :O

E se existisse um parque do Pequeno Princípe? :O

Se você já gostava do “Pequeno Príncipe” nos livros agora imagine num parque de diversões!

É exatamente isso. O universo poético de “O Pequeno Príncipe”, obra do escritor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry, inspirou a criação de um parque de diversões aberto no início de julho nos arredores de Mulhouse, na região francesa da Alsácia, a dez quilômetros da fronteira com a Alemanha.

o-pequeno-principe-livro-exupery-parque-diversoes

 

O empreendimento foi idealizado por uma empresa especializada em balões aeroestáticos e o Parque do Pequeno Príncipe tem como atração principal dois balões para representar os planetas do rei e do acendedor de lampiões. Em um deles, a 150 metros de altura, os visitantes poderão observar a paisagem da bela região da Alsácia, a Floresta Negra alemã e os Alpes. O segundo balão terá um bar! Isso!  para até 15 pessoas, a 35 metros de altura.

FRANCE-ENTERTAINMENT-PARK-PETIT-PRINCE-5

O parque de 24 hectares foi construído em seis meses com 31 atrações. Neste primeiro ano, os administradores esperam 80 mil visitantes. No ano que vem, 150 mil. Mesmo com diversas atrações tecnológicas, o parque — como o livro, publicado em 1943 e traduzido para 285 línguas — se trata mais de reduzir a velocidade e dar atenção às pequenas coisas.

Quer saber mais sobre o parque? Clique aqui!

Seu lixo te representa?

Seu lixo te representa?

Você tem noção da quantidade de lixo que produz por dia?

E como é esse lixo?

A questão é que hoje em dia, no mundo ocidental, as pessoas produzem mais lixo, numa base per capita,nunca visto na história da humanidade.

Por exemplo óbvio, a cada vez que você vai ao supermercado, você volta com um monte de coisas embrulhado em plástico, que, em seguida, tem que ir para o caixote do lixo ou embala os lixos produzidos por você e sua família.

E mesmo que decidamos reciclar um pouco mais nos dias de hoje, não é o suficiente tendo em vista os enormes volumes que estão sendo produzidos a cada dia.

Sendo assim, o fotógrafo Gregg Segal decidiu ilustrar a questão do lixo de uma maneira bastante incomum – retratou as pessoas junto com seu próprio lixo da semana.

O RESULTADO FICOU INCRÍVEL!

[Será que você descobre o cada um faz da vida só pelos objetos ao redor?]

1. Alfie, Kirsten, Miles, and Elly.

t-1

2. Milt.

t-2

 

3. Till and Nicholas.

t-3

 

4. Dana.

t-4

 

5. Elias, Jessica, Azai, and Ri-karlo.

t-5

 

6. Sam and Jane.

t-6

 

7. James.

t-7

 

8. Michael, Jason, Annie, and Olivia.

t-8

 

9. John.

t-9

 

10. Lya, Whitney, and Kathrin.

t-10

 

11. Marsha and Steven.

t-11

 

12. Susan.

t-12

10 milhões de garrafas PET em moda?

10 milhões de garrafas PET em moda?

Neste mês a Malwee também deixou a sustentabilidade falar mais alto: transformaram o que iria virar lixo em moda.

52-280x396

 

 

Eles deram uma nova finalidade a 10 milhões de garrafas PET que iam ser jogadas fora! 
Você Sabe o que isso representa? Para vocês terem uma noção, todas essas garrafas enfileiradas cobrem 5 vezes a distância entre São Paulo e Rio de Janeiro!

Parte da nova coleção é fabricada a partir da mistura de algodão e fibra de poliéster de embalagens PET recicladas. E o que é legal é que  por trás disso tudo a empresa acabou gerando empregos e renda para centenas de famílias.

E detalhe:
No processo de acabamento a malha recebe amaciante de manteiga de cupuaçu. Esse produto tem como base uma substância inteiramente nacional vinda da Amazônia através de uma parceria que gera renda a comunidades nativas.

44-280x396

E por isso, meus queridos, as peças que recebem essa malha sustentável são superconfortáveis e contam com a mesma qualidade de todos os produtos Malwee.
Assim como a Mr. Fly ;)

Dá uma passadinha no nosso site, escolha sua camiseta e veja o quanto nossas camisetas são confortáveis e estilosas. Clique aqui!

A criação do novo quiosque

A criação do novo quiosque

Essa semana para a Mr. Fly será histórica!

Vamos reabrir nosso quiosque agora totalmente reformado e ainda mais bonito para vocês!

Sendo assim, ninguém melhor para falar sobre isso do que o arquiteto responsável.

Nós convidamos Gabriel Cruz para dar um gostinho de como ficará nosso mais novo ponto de venda, agora no segundo piso do Independência Shopping.

Confiram aí!

_______________________________________________________________________________________________________

A marca Mr. Fly, moldada e pensada com fins sustentáveis, como vocês sabem, traz para o mercado um novo conceito de Quiosque!

Para agregar ao valor sustentável do empreendimento, foi concebido um Quiosque tendo como matéria prima para sua construção materiais recicláveis: ele é composto de embalagens tetra pak moída, raspas de mamonas e ainda tem coco em sua constituição.

Quando planejei seu design me inspirei no formato e nas curvas da folha de uma árvore. Como podem perceber na planta logo abaixo:

fffv

O que vocês poderão perceber, juntamente com o lançamento da nova logomarca da Mr. Fly é que o Quiosque também é renovado, ganhando novos elementos decorativos o deixando mais verde e bonito do que antes, além de reforçar seu valor sustentável!

Além de reformas pontuais, teremos em um de seus lados, uma parede verde, onde utilizamos plantas e flores, que poderão ser renovadas esporadicamente.

No balcão de atendimento teremos uma comunicação visual que reforçará a nova logomarca da Mr. Fly! E o letreiro por sua vez, também será renovado nos moldes conceituais que fazem da Mr. Fly referência no ramo!

Agora é só dar uma passadinha lá no Independência Shopping para conferir ao vivo como ficou!

A reabertura será  na quinta-feira, dia 05/06!

Gosta de jardinagem? Aprenda a fazer a sua própria compostagem!

Gosta de jardinagem? Aprenda a fazer a sua própria compostagem!

O processo de transformação do lixo em alimento para o solo é simples e se chama compostagem. Fazendo uma compostagem em casa você vai poder ajudar a natureza. Onde tudo se transforma.

Passo a Passo e alguns segredos para se fazer a compostagem em casa:

front-garden

1. Escolha o recipiente: Eles poderão ser de madeira, plástico ou metal, mas precisarão ter uma boa abertura em cima para colocação de material e outra embaixo de preferência na lateral para retirada do material já pronto.

2. Escolha o lugar: Vento ou sol demais pode secar o material escolha um local que seja protegido. Melhor escolher um lugar seco sob uma árvore que ofereça sol peneirado.

3. Coloque o lixo orgânico em camadas alternando materiais úmidos e secos na composteira.

O que colocar? Cascas folhas e bagaços de frutas e vegetais crus, casca de ovo, grão e pó de café, filtro de café usado, saquinhos de chá, guardanapos, espigas de milho, aparas de grama, jornais, serragem, palha, ramos e galhos bem picados.

O que não colocar? Dejetos humanos ou de animas domésticos, plantas doentes, ervas daninhas, cinzas de carvão, papel lustroso, plantas tratadas com pesticidas e pedaços de serragem ou madeiras que tenham recebido tratamentos químicos.

4. Regue com água e nitrogênio (para 1 regador grande 1 copo de nitrogênio) para ajudar na decomposição e a cada dois dias revolva o composto com auxilio de uma pá.

5. Adicione novas camadas sempre que reunir uma boa quantidade de matéria orgânica.

6. O composto vai estar pronto para uso em três ou quatro meses dependendo do material e das condições do ambiente.

 

Com saber se está pronto? Tem aparência de terra sem o menor sinal dos pedaços colocados. Apresenta cor marrom escura ou preta. Cheira como terra e tem textura macia ou esfarelenta. O volume reduziu entre 50% e 75%.

Pequenos e preciosos segredos:

1. Para acelerar o processo: picar o material em pedaços bem pequenos e remexer diariamente.

2. Muitas pessoas não fazem a compostagem por medo do mau cheiro que é ocasionado principalmente pela escolha errada do material. Não coloque de jeito nenhum alimentos de cozinha processados.

Com o composto pronto devolva-o para a natureza na proporção de uma parte de terra para uma de composto, e boas colheitas!

Créditos do passo-a-passo: Atitude Sustentável

Quer ter uma ideia do nível de florestas do planeta? Veja esse mapa interativo.

Quer ter uma ideia do nível de florestas do planeta? Veja esse mapa interativo.

Ao longo de 13 anos, entre 2000 e 2012, o mundo perdeu 2,3 milhões de quilômetros quadrados de florestas, uma área maior do que a Amazônia Ocidental (formada pelos estados do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima). Em contrapartida, 800 mil quilômetros quadrados de novas florestas cresceram em todo o mundo ao longo deste período. Os dados estão no mapa abaixo, disponível na internet.

 

Publicado na revista Science, o mapa interativo foi produzido a partir de estudos que reuniram esforços de um grupo de 15 universidades internacionais, instituições governamentais de pesquisa e a Google. Eles indicam, por exemplo, o desmatamento de 2.101 quilômetros quadrados de florestas todos os anos, só nas regiões tropicais. A redução do desmatamento no Brasil foi superada pelo aumento da perda de florestas em países vizinhos, como o Paraguai e Bolívia, além da Indonésia, Malásia, Angola e outros.

 

“Este é o primeiro mapa das mudanças nas florestas consistente globalmente e relevante localmente”, afirma o professor de Ciências Geográficas da Universidade de Maryland, Matthew Hansen, líder da equipe de pesquisadores. “Perdas e ganhos na cobertura florestal informam aspectos importantes de um ecossistema, inclusive regulação climática, estoque de carbono, biodiversidade e suprimento de água”.

 

Os pesquisadores utilizaram dados do Landsat 7, obtidos entre 1999 e 2012, disponibilizados livremente pelo Centro de Pesquisas, Observação e Ciências da Terra, do Serviço Geológico dos Estados Unidos. Mais de 650 mil imagens do Landsat foram processadas para se chegar a caracterização final das florestas e das mudanças que sofreram. A análise das imagens foi possível com a colaboração de Google Earth Engine, que permitiu a análise dos dados em poucos dias, o que em um computador comum tomaria 15 anos.

 

Os mapas possuem uma resolução bastante precisa (30 metros). Florestas subtropicais, por exemplo, têm altas taxas de desmatamento, devido ao uso intensivo das terras. As florestas no sudeste dos Estados Unidos foram perdidas quatro vezes mais rapidamente do que as florestas tropicais da América do Sul durante o período. Entre países, Paraguai, Malásia e Camboja são aqueles com as maiores taxas de perda florestal.

 

A boa notícia é que o estudo confirmou o sucesso brasileiro em reduzir o desmatamento, pois até poucos anos, o Brasil era apontado como responsável por uma das maiores perdas de florestas tropicais do mundo. No país como um todo, essa taxa caiu de aproximadamente 40 mil quilômetros quadrados entre 2003 e 2004, para 20 mil quilômetros quadrados em 2010 e 2011. A Indonésia faz o caminho inverso e praticamente dobrou o desmatamento no período, atingindo quase 20 mil quilômetros quadrados no biênio 2011 e 2012.

 

Acesse aqui o mapa interativo.

 

Créditos: Vandré Fonseca (site O Eco)

Não quer reformar? Saiba 10 dicas para deixar sua casa mais sustentável.

Não quer reformar? Saiba 10 dicas para deixar sua casa mais sustentável.

Para quem deseja morar em um local sustentável, mudanças graduais podem ser feitas para melhorar o espaço. O importante é lembrar que mudanças bruscas podem gerar resíduos, que também não são necessários. Confira a lista de coisas que podem ser feitas no ambiente:

1. Cultive plantas. Jardins, hortas e vasos de plantas são importantes para melhorar a qualidade do ar do ambiente. Por isso, plantar, nem que sejam pequenas mudas, é importante para deixar uma casa mais sustentável. Opte por plantas nativas, que irão apresentar um desenvolvimento melhor e menos cuidados, principalmente se forem as árvores. Já as hortas melhoram também a qualidade da alimentação. Veja aqui nove plantas que deixam o ar mais limpo e aqui dicas de como fazer um jardim reciclado.

2. Evite o uso de ar condicionado. Opte por deixar as janelas abertas ou usar o ventilador. Os aparelhos de ar condicionado utilizam muita energia para funcionar. Uma dica também é desligar o aparelho cerca de uma hora antes de sair do local, já que nesse tempo o ar permanecerá fresco.

3. Quando for trocar de móveis, opte por peças feitas de maneira sustentável e tente dar um novo uso para a peça antiga. Se não for mais reaproveitar na sua casa, doe ou venda para alguém. Se não for possível sua reutilização, tente encaminhar diretamente para uma instituição de reciclagem da sua cidade, que dará um encaminhamento correto para os materiais.

casa-sustentavel-ig

4. Troque as lâmpadas por luzes de LED. Elas podem ser mais caras, mas apresentam uma economia de até 40% em relação às lâmpadas fluorescentes e de até 88% com as lâmpadas incandescentes. Além disso, elas duram cerca de cinco anos a mais que os outros dois modelos (para saber mais sobre lâmpadas, acesse a reportagem na Edição 03 da revista Atitude Sustentável).

5. Uma mudança simples é escolher um vaso sanitário com duas opções de quantidade de água liberada por descarga, que ajuda a diminuir o consumo desse recurso.

6. Faça a manutenção da sua casa. Pequenos vazamentos de água ou frestas de ar podem aumentar gastos com água e energia.

7. Pinte o seu telhado de branco. A iniciativa faz com que os raios solares sejam refletidos, diminuindo o calor dentro da construção. Além disso, pesquisas mostram que a iniciativa pode ajudar a diminuir o aquecimento global. Veja mais informações sobre o projeto Um Grau a Menos aqui.

8. Quando for comprar eletrodomésticos, escolha modelos que gastem pouca energia. Eles são sinalizados com um selos de eficiência do Procel e do Inmetro.

9. Um sistema de reutilização da água da chuva pelas descargas exige um pouco de obras, mas você pode coletar a água em bacias e usar para lavar as calçadas e carros, por exemplo.

10. Melhore a iluminação natural. Mantenha as cortinas abertas durante o dia e posicione móveis de uma maneira favorável. Por exemplo, coloque as escrivaninhas perto das janelas, lateralmente, sendo possível utilizar a luz do sol. Assim, se gasta menos energia elétrica.

(via Atitude Sustentável)