Mr. Fly l Moda Sustentável - peças ecológicas e conteúdo consciente

Ideias para decorar a parede

Ideias para decorar a parede

Decorar a parede é uma tarefa difícil de se fazer, muitas vezes por falta de objetos de decoração ou poucas ideias para combinar com o ambiente. Com algumas molduras e criatividade, você pode criar vários quadros diferentes, dando um toque de exclusividade com a customização. Confira algumas dicas:

1 – Estampas

ideias para decorar a parede

Com algumas estampas diferentes e molduras, você pode revitalizar uma parede, seja combinando as estampas ou criando um mosaico com estampas de cores e tamanhos diferentes.

2 – Pratosideias para decorar a parede

Pratos decorados são objetos elegantes e podem dar um charme na sua cozinha ou sala de jantar. Você pode criar uma moldura com fundo personalizado para harmonizar com a estampa ou pendurar apenas o prato na parede.

3 – Temas combinados
ideias para decorar a parede

Você pode utilizar uma série de estampas, desenhos e recortes com um mesmo tema para decorar uma parede. Abuse da criatividade e crie vários temas para cada ambiente da casa!

4 – Espelhos

ideias para decorar a paredeOs espelhos são uma boa solução para espaços pequenos. Além de darem uma impressão de que o ambiente é maior do que parece, você pode combinar vários espelhos de formatos diferentes.

5 – Silhuetas
ideias para decorar a paredeCom um jornal velho e uma silhueta pintada por cima, você consegue personalizar uma parede sem ter muito trabalho ou gastar muito dinheiro. É uma opção viável e rápida de decoração.

Confira o post original aqui.

Aprenda a preparar um delicioso pudim de pães velhos!

Aprenda a preparar um delicioso pudim de pães velhos!

Muitas vezes nos encontramos em situações que pedem alguma receita fora do padrão, algo que surpreenda o paladar e o bolso de formas positivas. Uma reunião com aquela pessoa especial, ou aquele encontro de amigos no final de semana precisa de um diferencial. Que tal, então, aprender a preparar um pudim de pães velhos?

38620_gallery

Os ingredientes:

– Seis a oito pães amanhecidos (pão francês)
– Quatro ovos
– Duas colheres de açúcar (Mais ou menos, depende do seu gosto!)
– Um pacote de coco ralado
– Uma colher de margarina
– Meia lata de leite condensado (opcional)
– Dois copos de leite integral (Tipo C)

Vamos preparar: Coloque os pães em uma bacia com um pouco de água até que eles fiquem bastante maleáveis. Com as mãos, amasse os pães para que eles fiquem com uma textura de mingau. Com a pasta formada, adicione todos os ingredientes (com exceção do coco ralado).
Unte uma forma com óleo de soja e polvilhe farinha de trigo. Nessa forma, despeje a massa.
Agora sim: Jogue o coco ralado por cima e leve ao forno a duzentos e cinquenta graus ou até dourar a parte de cima.

Bon apéttit!

Porque o filme Os Descendentes deve ser visto

Porque o filme Os Descendentes deve ser visto

Por Pedro Fraga

A mudança ocorrida na premiação do Oscar de uns tempos para cá diz que,  ao invés de 5 filmes indicados na categoria de ‘’melhor filme’’, teríamos 10. Estratégia de marketing ou não, acabaram abrindo as portas para produções menores, independentes. Assim como no ano de 2011 o filme ‘’O inverno da Alma’’ tenha sido indicado, em 2012 o que temos é algo semelhante. Uma produção que conta com um grande ator no elenco, com locações caras o bastante para não ser de fato um filme de baixo orçamento, mas que não tira de sua estética e de sua narrativa o rótulo de filme indie do ano.

Filmes com histórias familiares geram um apego quase que imediato na maioria do público que frenquenta o cinema. E em ‘’Os Descendentes’’ (The Descendants, 2011) a coisa se repete, levando o conflito familiar a um nível um pouco além do que estamos acostumados a ver. Além de confrontar pais e filhos, temos aqui mais dois elementos: Infidelidade matrimonial e negócios.

MoviePost7

Aqui, George Clooney interpreta Matt King, um advogado um tanto avarento que se ocupa demais com seu trabalho. Seus tataravôs deixaram para ele (e mais um montão de primos) uma vasta quantidade de terras no coração de alguma ilha no Havaí. Já dá pra ter uma noção do problema que é dividir isso entre a galera, né?  Enquanto sua vida se limita as longas horas presas em seu escritório, sua filha mais velha passa a consumir álcool na escola que estuda e sua caçula sabe mais palavrões que qualquer humorista da nova geração. Sua mulher, carente por atenção, o trai. Até que, num belo dia de sol no Havaí, Elizabeth, sua mulher, bate a cabeça fortemente num acidente de barco, e isso a deixa num coma permanente. Matt K., um jovem senhor, se vê na missão de administrar essa ‘’família’’ tão fragmentada pelas más escolhas e pela falta de proximidade, além de escolher entre vender as terras ou continuar com posse do legado de sua família.

A atuação de Clooney – que já lhe rendeu o globo de ouro – é única. Em todos os seus papéis, nunca lhe foi imposto um personagem com uma missão tão delicada e que exigisse uma carga emocional tão intensa. Aqui, Clooney corre um quarteirão inteiro de forma desengonçada, chora de forma convincente, e se faz um pai tremendamente dedicado. Se a atuação do galã se mostra impecável, temos também o resto do elenco que, extraídos ao máximo, levam o filme de forma absolutamente natural.  Destaque para o elenco jovem, formado por Amara Miller e Shailene Woodley.

A fotografia do filme é composta pela belíssima paisagem havaiana, que transmite uma sensação de paz e tranquilidade mesmo em meio a todo esse turbilhão de emoções e sentimentos. Assim também se faz a trilha sonora, cheia de músicas folclóricas da região.

DESCEND-articleLarge

Alguns conceitos impostos pelo roteiro, como a analogia entre a família e o arquipélago – onde a família é fragmentada entre várias ilhas -, fazem com que o espectador reflita um pouco sobre o verdadeiro sentido da família. Mas nada que qualquer um de nós já não tenha visto em outros dramas familiares.

Como um filme de Oscar, ‘’Os descendentes’’ se aproveita do fraco ano para o cinema e arranca a vaga destinada aos filmes independentes, se aproveitando de seu forte elenco e, consequentemente, de suas ótimas atuações. Mas o roteiro não traz nada de extraordinário ao gênero, e a sensação de ‘’algo mais’’ falta aos espectadores ao final da sessão. Mesmo não sendo tudo o que fora prometido, o filme merece sim ser visto. E vá com sua família,é possível que ela saia de lá mais unida.

Look da semana Mr. Fly

Look da semana Mr. Fly

O look da semana é pra sair de tardinha, ir no cinema. Combinando o short larguinho com a meia calça e a flor no cabelo para fazer o estilo fofa, e quebrando com o relógio dourado e a bota de salto, para não ficar muito menininha. O short rodado é uma boa opção para se sentir mais confortável e também uma alternativa para que não gosta de usar saias. A camiseta Panda da Mr. Fly é uma estampa mais neutra e ainda assim com bastante estilo.

Look da semanaConfira mais camisetas no site: www.mrflymoda.com.br

Porta retrato com garrafa

Porta retrato com garrafa

Garrafas de vidro são itens que muitas pessoas não costumam reciclar, apesar das infinitas possibilidades de dar uma nova cara e decorar a casa com elas. O ideal é não jogar fora nenhuma delas, pois o vidro que jogamos no lixo nem sempre é reaproveitado e demora cerca de 4.000 anos para se decompor na natureza. Sendo assim, devemos fazer o nosso dever para reaproveitar e deixar a casa mais bonita com reciclagem criativa! O porta retrato com garrafa é uma opção criativa, diferente e muito fácil de fazer.

Porta retrato com garrafa

Para colocar a foto dentro da garrafa, basta enrolar delicadamente para não danificar o papel e passar pelo gargalo. Você pode decorar a garrafa colocando pequenos objetos dentro para criar um cenário ou itens que lembram o momento da foto. A tampa também pode ser decorada com renda e adornos de bijouteria. O importante é usar a sua criatividade!

Confira o post original aqui.

Perdemos a copa de 2014

Perdemos a copa de 2014

Por Pedro Fraga

Ainda que o Brasil monte um time avassalador, com os maiores craques já vistos na história do esporte e vença a copa do mundo que será realizada aqui, eu não conseguiria engolir esse que é o maior roubo da história dos cofres públicos. O mais curioso, porém, é que o tal roubo é narrado todos os dias pelos noticiários brasileiros, através da divulgação dos projetos dos grandiosos – e, na maioria das vezes, sem utilidade alguma – estádios nacionais. Bilhões de reais (públicos, amigo… dinheiro público) em estádios que estão em locais absolutamente inviáveis para a reutilização ou manutenção periódica.  Quer um exemplo? O estado do Amazonas não tem uma liga de futebol consolidada, muito menos algum time de expressão que possa, no mínimo, utilizar o estádio vez ou outra. Mas, na lógica, o estádio precisa ser construído. O Amazonas é um estado com poucos problemas de infra-estrutura, e, obviamente, falta-lhes um grandioso estádio! Não preciso nem mencionar o estádio que está sendo construído em São Paulo… Iniciativa particular (estádio do Corinthians), desenvolvida inteiramente com dinheiro público.

Esses roubos aos cofres públicos e, consequentemente, a realização da copa do mundo no Brasil, dizem muito sobre a sociedade brasileira. Pode não parecer, mas esse evento mundial não representa somente a celebração do esporte a nível global, ou a interação dos países. Para nós, brasileiros, essa copa representa a total alienação das massas; o descaso dos governos para a saúde e a educação; a não preocupação com a infra-estrutura nacional (aeroportos, estradas). E diante disso tudo, o povo brasileiro sorri, alegre e receptivo, vendo seus impostos virarem pedaços de grama, traves e tinta branca.

esportes-fut-brasil-copa

Claro, o povo brasileiro merece isso. O lazer (e o futebol, no Brasil, tem papel crucial) precisa ser algo recorrente na vida de qualquer cidadão, em qualquer sociedade. Mas, antes disso, que tal cuidar desse indivíduo para que ele possa comprar alimentos de boa qualidade, ou para que receba tratamentos médicos eficientes, ou para que ele tenha em casa o mínimo de dignidade.

A copa, para muitos, é a chance de ver (ainda que pela televisão) a seleção nacional ser campeã dentro de sua própria casa. Para mim, é a realização da FIFA, um órgão gigantesco que movimenta bilhões de dólares todos os anos. Somente isso. E o Brasil, nessa história, é mais um local escolhido para arrecadar dinheiro.

O mundo da publicidade já se apoderou do tema, e começa a vender uma ideia completamente ilusória sobre a democratização do evento. A elite brasileira poderá ir ao estádio, enquanto que a maioria esmagadora da população terá que se amontoar em bares e esquinas para acompanhar os tais jogos.

Sou apaixonado pelo esporte. Acompanho futebol. Mas o que estamos acompanhando no Brasil nos últimos meses é vergonhoso.

Semanas de pura paralisação e prejuízo ao país, que já viu seus cofres esvaziarem para a construção de estádios inúteis. Perderemos duas vezes. Não interessa quem irá vencer, já que, de antemão, sabemos quem vai perder. O país perde. Aliás, já perdeu. E de goleada.

 Não vejo motivos para tantas comemorações.

charge-copa2014

Sobre a Mr. Fly

Sobre a Mr. Fly

Mr. FlyA Mr. Fly é uma empresa que acredita na moda sustentável. As camisas são compostas 50% por algodão e 50% por poliéster, derivado do plástico reciclado da garrafa pet. Para cada camisa confeccionada, são duas garrafas plásticas a menos no meio ambiente. Dessa forma, a empresa ajuda a diminuir resíduos, além de gerar empregos com a coleta das garrafas. E todo este cuidado ainda resulta em peças de excelente qualidade e estampas superestilosas. Além de ficar na moda, você ainda ajuda o meio ambiente!

Estampa nova

Como uma empresa que busca crescer cada vez mais e espalhar a sustentabilidade, nós temos um conjunto de missão, visão e valores que seguimos para melhorar cada vez mais.

Nossa Missão: Oferecer aos clientes roupas e acessórios,transformando materiais recicláveis em moda, valorizando a beleza e o bem-estar sempre com foco no desenvolvimento sustentável.

Nossa Visão: Em 2020, ser reconhecida nacionalmente como referência em moda sustentável.

Nossos Valores:

– Confiança: Nós cumprimos com o que prometemos, buscamos a honestidade em todos os nossos negócios.

 Sustentabilidade: Nós temos um papel importante de conscientizar sobre o consumo e gerar soluções que agrida menos o meio ambiente.

– Qualidade: Temos obsessão por qualidade, trabalhamos com foco na melhoria contínua.

– Inovação: Buscamos sempre inovar nos nossos produtos, diferenciando da concorrência.

 Participação: Valorizamos a iniciativa de nossos colaboradores na geração de resultados.

 Orgulho de Fazer a diferença: Nós nos orgulhamos de contribuir para um futuro melhor!

Look da semana

Look da semana

O look da semana é bem dinâmico, serve para sair de casa ou ir estudar sem perder o charme! Se você é fã de Queen e memes, vai adorar a camiseta The Show Must Go On. A saia de renda vermelha pede um sapato baixinho, pra não exagerar no look e pecar pelo excesso. O lenço xadrez dá um charme e quebra o vermelho combinado do acessório e sapato. Caso queira aproveitar o look para sair mais à noite ou estar mais arrumada para uma ocasião especial, você pode substituir a mochila por uma bolsa preta tira colo e usar uma maquiagem mais elaborada.
Look da semanaE aí, o que acharam do look?

Porque o filme O Último Desafio precisa ser visto.

Porque o filme O Último Desafio precisa ser visto.

Por Pedro Fraga

Os filmes de ação em Hollywood mudaram. A necessidade de contar histórias mais próximas possíveis da realidade pode ser, em um primeiro momento, algo extremamente benéfico. Com isso nós tivemos a excelente trilogia Bourne e os Batmans de Nolan, por exemplo. Todos com medo das leis da física e mais preocupados com a veracidade das ações. O problema é que essa tendência começou a brotar em todos os filmes de ação, limitando as histórias. O cinema de ação Old School de Stallone, Bruce Willis e claro, Arnold Schwarzenegger, tinha seu lugar cativo no coração dos cinéfilos porque era descompromissado e levava histórias de ação a qualquer preço, seja esse pago com explosões surreais ou com brigas épicas.

O novo trabalho do já não tão novo Arnold Schwarzenegger agrada porque é justamente um resgate do cinema old school de ação: Violento, engraçado e caricato. O Último Desafio (The Last Stand, 2013) te faz lembrar dos ‘’longínquos’’ anos 80 e, de quebra, ainda brinca com o western.

O-Último-Desafio-1

O visivelmente cansado (mas esforçado) Schwarzenegger encarna Ray Owens, um antigo policial de elite que se aposentou após ver muito ‘’sangue e morte’’, como ele mesmo diz. Para ‘’descansar’’, Ray deixou a cidade grande e decidiu se instalar na pacata cidade de Sommerton Junction, onde se tornou xerife. Como qualquer cidade do interior, quase não havia o que fazer.  Até que um perigoso líder do cartel mexicano (Eduardo Noriega) escapa das mãos do FBI de Las Vegas e decide cruzar a fronteira para fugir da jurisdição americana. No meio do caminho estava, obviamente, a calma cidade de Sommerton, e lá também estava o xerife e sua equipe de delegados completamente inexperientes. Juntos, os ‘’oficiais’’ da lei montam um plano para defender a cidade e capturar o bandido.

A ambientação do filme é quase toda voltada para a cidadezinha, e isso é o que faz o filme ganhar ritmo. Como não há ocorrências, os três delegados ficam atirando em carne boa parte do dia, e essa realidade do interior é interessante pois contrasta com a inexperiência que esse tipo de departamento tem normalmente. As melhores piadas do filme estão nas costas dos calmos moradores da região e do delegado atrapalhado Figgy. Um arregão completamente despreparado e fora de forma, mas que rende boas risadas.

Como um retrato dos anos 80, a canastrice aparece tanto no herói quanto no vilão. Schwarzenegger tem a profundidade dramática de uma piscina de plástico, isso não é novidade.  O interessante é ver que mesmo por trás das sobrancelhas já esbranquiçadas está um imponente xerife que é capaz de tudo para proteger sua cidade. O vilão, Gabriel Cortez, é caricato, mas não tem o carisma e a imponência que o senhor Governator carrega. No time de atores ainda estão Rodrigo Santoro e Forest Whitaker; um interpreta um ex-soldado que serviu no Afeganistão e o outro é o chefe da divisão de Narcóticos do FBI de Las Vegas. O primeiro chama atenção do público brasileiro por razões óbvias, e, por acaso, tem a melhor atuação do filme, ainda que com pouco destaque. O problema é que ele está muito superior aos outros, à vontade e dramático quando precisa, o que acaba deixando-o deslocado do resto do elenco. Já Whitaker está confuso, perdido. Aquele Forest de O Ùltimo Rei da Escócia ou de Quarto do Pânico não apareceu. O papel também não ajudou…

O-Último-Desafio

A trilha sonora é terrível e parece ter sido retirada de uma sketch do programa policial mais fuleiro da TV americana. Por outro lado, as cenas de ação são extremamente bem construídas e executadas. Algumas até necessitam de um pequeno empurrão da sua imaginação para funcionarem, e é exatamente esse tipo de ação que diferencia o filme. O diretor Kim Jee-Woon, estreante em Hollywood, utiliza uma taxa maior de quadros por segundo para filmar as batidas e explosões de um ângulo diferente, aumentando levemente a veracidade dessas ações. Um pouco de sangue e frases de efeito à vontade também compõem o filme.

Mas e o western que você mencionou? Bom, ele pode ser captado no filme em diversos momentos.Vai desde a cidadezinha até o xerife durão com passado aterrorizante. Para aumentar, até um duelo á moda antiga está presente, com nosso querido Schwarzenegger aparecendo rapidamente em alguns close-ups (o dublê é mostrado mais vezes…).

Falho em diversos aspectos, O Último Desafio satisfaz por trazer o astro old school de ação de volta a ativa, mesmo que para isso ele tenha que utilizar carros na maioria do tempo (correr nem pensar…).  O filme é um divertido passatempo à moda antiga. Descompromissado, engraçado e violento.

 

Dica rápida: Customizando a mesa antiga

Dica rápida: Customizando a mesa antiga

Sabe aquela mesa antiga, com alguns riscos e velha, que a sua família pretende jogar fora? Hoje você vai aprender a reaproveitá-la! Muitas vezes acabamos jogando móveis antigos no lixo sem pensar que a reciclagem ou revitalização pode ser uma alternativa barata para dar uma nova cara ao móvel.

customizando a mesa

A solução é bem simples: Basta fazer linhas de diversas cores com fita adesiva colorida. Além de cobrir as imperfeições e defeitos da mesa, você cria um móvel colorido e alegre para decorar sua casa! Outra opção é usar papel contact estampado na mesa.

O post original você confere aqui.