Mr. Fly l Moda Sustentável - peças ecológicas e conteúdo consciente

O que é o GIMP?

O que é o GIMP?

GIMP (GNU Image Manipulation Program) como seu próprio nome já diz, é um programa para manipulação de imagens e está sob os termos da licença GNU (GPL). Basicamente definido como um editor de imagens Bitmap, ou seja, o Gimp é um programa voltado para a edição de fotografias e criação de imagens (Banners, Papéis de parede, Outdoors etc) assim como o “photo shop”, a diferença é que o Gimp é um programa livre, ou seja, qualquer pessoa pode contribuir para aperfeiçoá-lo, incluindo sempre novos recursos. Além disso também é possível deixar tudo ao seu gosto para que o programa trabalhe de acordo com os nossos desejos sem que precisemos pagar por isso =].

Existem comunidades em torno deste software em diversos países e elas tem por objetivo contribuir com o software e mostrar que as pessoas tem o direito de escolher o que vão usar e como vão utilizar sem deverem satisfações a uma determinada pessoa ou empresa =]. No Brasil os Membros da comunidade brasileira além de manter o site, quando podem palestram em eventos de tecnologia sobre ele, escrevem artigos diversos e claro sempre que podem ministram cursos gratuitos para a população quando há recursos para tal.

A Mr. Fly apoia qualquer ação que promova inclusão social! Por isso a comunidade do programa “O Gimp” será nosso novo parceiro. Em breve teremos camisetas da comunidade e quem quiser reservar pode enviar e-mail com nome e tamanho desejado para contato@mrflymoda.com. Lembrando que o modelo escolhido está no link http://www.mrflymoda.com.br/enquete (camisa vencedora cor preta)

Saudações ecológicas!

Ombros à mostra

Ombros à mostra

Enquanto as semanas de moda ainda acontecem pela Europa, podemos ver algumas características para dar maior atenção. Um detalhe muito peculiar é o tipo de decote que muitas marcas escolheram. Como vocês verão logo abaixo, os ombros estão bastante em evidência, mas, ao invés de ombros marcados com mangas princesas como em umas estações atrás, agora eles estão à mostra de verdade!

Isso pode servir como um trend alert para as próximas coleções de verão das marcas por aqui. Mostrar os ombros é super sexy e a mulher brasileira adora! Claro, tudo fica lindo com a dosagem certa. A parte legal é o jogo de mostra-e-esconde, deixando apenas algumas partes à mostra. Percebam que as roupas, mostrando o ombro, não têm decotes profundos ou não possuem nenhum. Tudo na medida, sem aparecer demais.

Fendi – Mary Katrantzou – BCBG

Phillip Lim – Etro – Carlos Miele

Mr. Fly + MudaRock

Mr. Fly + MudaRock

A Mr. Fly fez uma Super Parceria com a MudaRock  (www.mudarock.com.br) Para cada camiseta vendida será plantada uma árvore!! E mais: todas as camisetas por R$34,90 e frete grátis na compra de 2 ou mais peças. Aproveite é só nesta semana!!!

 

Top 5 cores para o verão 2012

Top 5 cores para o verão 2012

Ainda faltam alguns meses para o nosso verão de verdade, mas muitas marcas já lançaram a sua coleção 2012. Depois de tantos desfiles e semanas de moda, pudemos ver que algumas tendências são comuns a algumas marcas. E é nelas que você deve apostar!

Brasileiras adoram cores. Bom, pelo menos a maioria. E deve ser por causa disso que o assunto mais comum em blogs que cobrem desfiles de moda seja “a cor”. Afinal, é tão fácil de perceber quando um tom está em alta, não é? Como é difícil determinar apenas uma no meio de muitas, separei cinco cores que irão fazer sucesso no nosso verão.

Prepare-se, elas aparecerão muito pelas ruas!

Branco

Daslu – Iódice – Carlos Miele

Amarelo-limão

Pedro Lourenço – Andrea Marques – Sta Ephigênia

Laranja

Cris Barros – Bárbara Bela – Têca

Turquesa

Filhas de Gaia – Maria Bonita Extra – Coca-Cola Clothing

Azul-cobalto

Animale – Osklen – Patachou

Já escolheu sua favorita?

Bicicleta como acessório de moda

Bicicleta como acessório de moda

O mundo está começando uma revolução. E ela começou na Europa. Cansados do trânsito, em prol da saúde e lutando por um planeta mais sustentável, muitas pessoas já optaram pela bicicleta como meio de transporte. Algumas cidades européias dispõem de ciclovias, o que facilita a vida de um ciclista!

 As bicicletas realmente viraram mania pela Europa, tanto que blogs de moda se dedicam a mostrar as roupas desses ciclistas tão estilosos. E nada de roupas esportivas! O pessoal capricha mesmo no visual mesmo andando de bike. Um exemplo bem inspirador é o site Paris Cycle Chic, que mostra a moda em cima de duas rodas na cidade luz. Dá uma olhada:

 

Aqui no Brasil não é tão comum, mesmo porque os trânsitos caóticos nos dão um pouco de receio. Mas o pessoal do Cycle Chic está começando um movimento no Rio de Janeiro. Tomara que dê certo e se espalhe por todo o país!

Anos 70

Anos 70

A moda vive em ciclos é por isso que sempre ouvimos das nossas mães e avós “usei tanto isso no meu tempo”, e é certo que vamos falar a mesma coisa para nossos filhos.

Atualmente a maior referência da moda são os anos 70 com suas calças bocas de sino, blusas ciganas, saltos de madeira e saias midi entre outras inspirações. Para entrar no clima é só escolher sua peça setentinha e combinar a seu gosto.

A moda dos anos de 1970 apresentou varias facetas diferentes:

A moda romântica que explorava os babados, estampas florais, lenços, tranças nos cabelos. Reflexo do movimento hippie.

O multiculturalismo chegou misturando estampas e modelagens étnicas.

O Glam Rock acompanhado da androgenia também fez parte da década.

O movimento Punk surgiu em Londres com suas tachas e roupas rasgadas.

E por último e não menos importante, a Brilhantina dominou as discotecas com suas calças boca de sino, maquiagem exagerada e meias de lurex, no Brasil o estilo foi difundido pela novela “Dancing Days”.

Alguns looks seguindo as referências setentinhas para inspirar:

Assim dá para ficar na moda sem parecer fantasiada de anos 70!

Produtos Orgânicos

Produtos Orgânicos

Muitas pessoas acham que os produtos Orgânicos se restringem ao plantio de frutas, legumes e verduras. Porém já os encontramos na forma de laticínios, pães, geléias sorvetes e até pizzas.  Veja o vídeo: Alimentos Orgânicos

Também é possível fazer tecidos como o Algodão Orgânico e o mais interessante é que ele já nasce colorido. Veja o vídeo: Algodão Orgânico

As técnicas usadas para se obter o produto orgânico incluem emprego de compostagem, da adubação verde, o manejo orgânico do solo e da diversidade de culturas, que garantem a mais alta qualidade biológica dos alimentos.
O produto orgânico é completamente diferente do produto da agricultura convencional, que emprega doses maciças de inseticidas, fungicidas, herbicidas e adubos químicos altamente solúveis.

Esses agroquímicos fazem com que os alimentos tenham baixo valor nutricional e, em sua toxicidade pode estar a causa de muitas doenças, que afetam o homem, em proporção crescente. Além do mais, esses agroquímicos contaminam o ambiente, poluindo a água, o ar, a terra, a flora e a fauna.
A Agricultura Orgânica é o modo verdadeiramente científico e respeitoso de produzir alimentos saudáveis e assegurar a integridade do meio ambiente.

 

Onde encontrar Produtos Orgânicos:

http://www.portalorganico.com.br/Paginas/Lojas/

 

Fonte:

http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=1848

http://www.fotolog.com.br/bira2009/44666954

 

 

O excremento humano e de outros animais podem ser utilizados para a geração de calor, gás de cozinha, fertilizantes e até energia elétrica.

O excremento humano e de outros animais podem ser utilizados para a geração de calor, gás de cozinha, fertilizantes e até energia elétrica.

A britânica Loowatt desenvolveu um processo que permite o recolhimento imediato de fezes de seres humanos em equipamentos sanitários, e a conversão direta dos mesmos em biogás, passível de ser utilizado, por exemplo, para cozinhar e como fertilizante.

Os equipamentos sanitários da Loowatt não utilizam água ou produtos químicos, e foram pensados, sobre tudo para eventos ao ar livre, parques de campismo, e locais remotos e/ou sem redes de esgotos: As fezes e urina caem sobre bolsas a que a empresa designa como “cartuchos selados e sem cheiros”, os quais possuem um forro de tecido biodegradável. Os referidos cartuchos são removidos uma ou duas vezes por semana (dependendo do uso), e o forro e os seus conteúdos são despejados num digestor anaeróbico nas proximidades. O digestor, que também faz parte do sistema, utiliza micro-organismos num ambiente sem a presença de oxigênio para consumir os resíduos e os converter em metano (CH4) e em dióxido de carbono (CO2). O gás metano – neste caso designado como biogás – pode ser em seguida utilizado como combustível, cuja queima origina vapor de água e mais CO2. Um segundo subproduto desta digestão é uma espécie de estrume semi-líquido no qual os nutrientes já foram homogeneizados, o que torna a sua absorção mais acessível por parte das plantas. Este material pode ser separado em alimento líquido para as mesmas e num fertilizante de tipo mais sólido.

A companhia irá a operar um projeto-piloto numa marina para habitações flutuantes em Londres Ocidental, o qual é constituído por cinco casas-de-banho e por um digestor com pequenas dimensões. Os sanitários foram, de acordo com Virginia Gardiner (uma das fundadoras da Loowatt), um sucesso e a companhia está já em negociações com vários potenciais clientes. A Loowatt recebeu recentemente um financiamento de 100 mil dólares por parte da Bill & Melinda Gates Foundation para um maior desenvolvimento da tecnologia.

 

Excremento para geração de calor:

 

Mais de 200 casas da cidade de Didcot, no Reino Unido, mantêm seu sistema de calefação funcionando graças ao que vai para a privada. Todos os dejetos produzidos pelos os moradores são direcionados para uma estação de tratamento onde eles são separados e convertidos em gás (sem odor, claro!) para poder alimentar os radiadores de calefação instalados nas residências. Utilizar nossos próprios resíduos como combustível não é algo novo – há indícios de mais de um século de que chineses e outros povos usavam seus excrementos para produzir energia. Mas o projeto de Didcot (que custou 4 milhões de dólares) é uma prova de que é possível construir um sistema integrado de geração de gás e energia em grande escala através da defecação humana – uma energia limpa, sim, e totalmente renovável, já que a não paramos de fazer nossas necessidades fisiológicas.

 

Geração de energia elétrica:

 

 

Trono mais verde:

 

As privadas estão ficando mais sustentáveis. Pudera: para cada descarga, cerca de 20 litros de água vão esgoto abaixo. Pensando nisso, os fabricantes estão criando privadas mais verdes. Conheça abaixo duas tendências que devem estar em breve num banheiro próximo de você.

1.    Uma forma de evitar o desperdício é substituir a água pelo fogo. Os novos modelos vão incinerar os dejetos. Ao apertar a “descarga”, os excrementos são queimados – sem deixar cheiro, claro.
2. Um sistema a vácuo suga os detritos e os joga no esgoto – praticamente a seco. Por isso, consome apenas 0,8 litro de água a cada uso, 10 vezes menos que um vaso comum. A energia para produzir o vácuo vem de painéis solares.

 

Fonte:

www.wikiernegia.pt

www.planetasustentavel.abril.com.br